Polícia

CAPITAL » Currículo manchado Cozinheiro de 50 anos, casado e pai de três filhos, saía cedo de casa dizendo que ia procurar emprego, mas na verdade seguia até agências bancárias na Região Centro-Sul para cometer assaltos

Andréa Silva

Publicação: 01/07/2015 04:00

Usando roupas sociais, levando uma mochila no ombro e currículos dentro da bolsa, o cozinheiro Cleber Martins dos Reis, de 50 anos, saía cedo de casa, alegando à família que ia procurar emprego. Mas o destino do homem, diariamente, era alguma agência bancária nos bairros de Lourdes e Funcionários, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte. Fingindo ser cliente do banco, o suspeito aguardava uma pessoa fazer um saque para roubá-la ainda no setor de autoatendimento. Ele usava sempre uma faca de cozinha para cometer os assaltos. Após sete registros de crimes semelhantes ocorridos nos últimos três meses, o setor de inteligência do 1º Batalhão da Polícia Militar (BPM) iniciou uma caçada ao ladrão, que acabou preso ontem.


“Dos sete casos, o suspeito confessou cinco. Como já tem 50 anos e sem histórico de crimes, questionamos o motivo de estar cometendo esses assaltos. Ele alegou ter perdido o emprego recentemente, que no início saía de casa atrás de serviço, mas não conseguiu uma colocação. Desempregado, começou a passar dificuldades financeiras até que teve a ideia de cometer os roubos”, disse o tenente Heron Soares Mota, coordenador de policiamento do 1º BPM. O suspeito é casado, tem três filhos e mora na Região do Barreiro.


Ainda segundo o tenente, o autor agia normalmente entre 7h e 8h. “Há registros de roubos no valor de R$ 1 mil, R$ 700 e R$ 500. Conseguimos levantar sete casos, mas acreditamos que o autor tenha feito várias outras vítimas nesses três meses”, disse o policial.


ABORDAGEM


Ontem, por volta das 9h, Cleber dos Reis desembarcou em um ponto de ônibus da Avenida Olegário Maciel, no Lourdes, próximo a uma agência do Banco do Brasil, quando policiais militares o reconheceram e o abordaram.


O suspeito estava com a mochila que usava para esconder a faca e carregar os currículos. Na bolsa também estava um registro de bons antecedentes do Departamento de Identificação, que ele usava para se passar por policial civil e não pagar passagem no transporte coletivo.
Segundo a PM, os sete assaltos cometidos no setor de autoatendimento das agências bancárias foram cometidos pelo suspeito entre abril e maio e foram filmados pelas câmeras de segurança dos bancos.


De acordo com o tenente Heron Soares Mota, no momento da abordagem, o suspeito negou a autoria dos roubos, porém, assim que eles mostraram as imagens em que ele aparece apontado uma arma para as vítimas, acabou confessando parte dos crimes.


Enquanto a PM registrava a ocorrência, uma das pessoas assaltadas por Cleber dos Reis reconheceu o homem como autor do roubo. Como não houve flagrante nos assaltos à vítima, o suspeito foi preso por porte de arma branca e uso indevido de documento público para vantagem pessoal. Os policiais militares levaram Reis para a Delegacia Especializada de Juizado Especial Criminal (Deajec).

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.